Anda tudo ao contrário!Os jovens são,tanto quanto eu vejo,os mais favorecidos em termos profissionais(basta ler os anúncios de emprego ,medidas como tsu pelo iefp  ,estágios…) e como se não bastasse os únicos a terem apoios!Neste país,de facto,só há oportunidades e  ajudas   para alguns …

 

 

 

http://www.publico.pt/economia/noticia/mota-soares-quer-avaliacao-da-oit-do-programa-garantia-jovem-1639405

A um eclipse humanizado

Grande amor da(s) minha(s) vida(s) ,se assim a vida o for,uma semelhança com os rodopios desse longínquo ser que já não cabe em mim,de ti,do amigo,do desconhecido,do presente indiferente,do ar que pousa sobre mim  e… de mim.de mim,de mim!

Saber que partiste daqui  ,é-me suportável ,apoiada pela felicidade e orgulho( imensuráveis) que sinto por teres feito parte da minha vida e como se isso  não me bastasse,agraciada terei sido mais ainda pelo teu olhar quando  obstinado transpôs  a minha alma para a refazer envolta dessa  infância sepultada  …Deus,que tanto me tem feito chorar devia andar bastante distraído…
Apareceste no meu mundo porque SÓ TU ,com a tua grandeza humana e absorvida pela tua sagacidade ,poderias fazer de mim uma pessoa melhor.
Com toda a certeza que habita no mais profundo e sólido de mim,refiro-me a ti como sendo o grande amor da minha vida(por muito longa que o seja…) citando Felix Frankfurter quando diz “Uma pessoa boa é diferente de todas as outras”.Ainda amar-te-ia mais e mais,pudesse eu viver infinitamente ,se Deus(descobri que também é ciumento) mo permitisse…com ou sem a tua reciprocidade.
Eu fui para ti,aquele livro cuja linguagem não soubeste interpretar.
O filme não decifrado
A tua perda de visão após o nevoeiro de um gélido amanhecer
A mensagem do quadro que não chegou até ti
Os pormenores imperceptíveis de uma fotografia
A nuvem que vagarosamente ,se sobrepôs sobre o sol
O passo errante da bailarina
A chama da vela oscilante que findou
A ponte que ruiu
O desequilíbrio do malabarista
O olhar apagado da criança
A mulher estéril
O rastro do ladrão
A rainha sem trono
a delação do anjo
A voz que desafinou a meio da música
A actriz que esquecida do guião,não soube improvisar
Tu és para mim a miragem de um Deus.Mas do meu Deus.O outro Deus,como todos o conhecem,na sua impaciência ,faz-me dissipar velozmente…
A magia de um majestoso Éden a descoberto antes de se partir
O repouso da beleza de um Chopin no pavão
O domínio do Sol ante a chuva
A alma do arco- íris
A propagação de tudo que cintila
A viagem às palavras;estas palavras que me escorregam entre os dedos, enaltecidas pelo facto de serem dirigidas a ti ,guiadas pelo som da tua voz ,a imiscuir-se relembrando-me da minha abdicação para te tornar imortal através demim
O livro que não terminei de escrever
A revolta do mar que abarca o navio
O beijo da chuva derramado na pintura
As fotografias rasgadas por alguém
A peça de arte que o vento partiu
A moradia cerrada onde querias entrar e que quando chegaste,de rompante,uma rajada abriu a janela.A entrada que te passou despercebida enquanto batias à porta
Eu sou o salto do sapato da bailarina que se quebrou
O filme sem tradução
A despedida do clamor da maresia
A falha do som enquanta cantava
A actriz que após as sequelas de um acidente deixa de poder representar
O sonho que se esconde,trémulo, atrás da cortina
A antítese de qualquer coisa
A aptidão dialética presente no livro
O desatino do senil estróina
O quadro incognoscível
Essa fotografia ininteligível
O olhar minucioso e destemido do artista
A fome do indigente
A correção do aluno
O rumor do frenético monólogo de um filósofo
O retoque redobrado do orvalho
A fidelidade de quem crê
O grito débil do adepto fervoroso
O desassossego de quem espera
O pranto do vulcão
Pelo inestimável; por ter sido bem amada,GRATA DE TI!Por ter encontrado alguém digno do que aqui escrevo.Oh,meu eclipse humanizado, quantas pessoas não desejariam o mesmo?Hás-de sobreviver-me à morte .Até se Deus não o quiser.Tento matar a morte com a vida como o condutor que trava a fundo afim de não embater.Mas eis que me ressurge ,impiedosa e triunfante na sua demolição…
Procura-me na escrita  ,neste meu sopro que silenciava.Irás (por fim) reencontrar-me.Este é o teu lugar reservado onde podes sempre regressar
Até ao término da minha respiração,tão interminavelmente “tua”,meu irreparável fascínio
Imenso amor,recebe toda a analgia e felicidade da pessoa inocente.Toda a felicidade do filho amado…

Eis-me que me criei i(mortal) a (e para)ti, Roberto Gonçalves 

Ansiedade…a que custo…

Hora de acordar (ou já passou?)

Doenças psiquiátricas devem ser levadas a sério.

Não desdenhe, não ridicularize, não deprecie, não se engane

com o depressivo, o esquizofrênico, o distímico,

o autista, o ansioso, o bipolar, o hiperativo,

dentre outros.

Há saídas efetivas, para a melhoria da qualidade de suas vidas.

Pessoas são « coisas » para se respeitar.

Falar em « frescura », em psiquiatria, em psicologia,

hoje, é (ampla e ilegitimamente) OUT.

Pense. Faça. Compartilhe.

Alena Menino – Psicóloga Clínica